Publicidade


sábado, 30 de julho de 2011

Bem mais que tudo


Esse é o primeiro vídeo deste Grupo de Louvor. Fazem, cerca de 4 meses que louvamos juntos, Deus tem sido fiel, como de fato sempre é, e tem nos abençoado.
Como tudo que inicia, não estamos perfeitos, nem somos profissionais, mas vamos melhorar, com a graça Divina, vamos avançar em nossos objetivos. abraços....

Saber Viver



Viva a vida, com intensidade;
Passe tempo com os amigos, você merece;
Abrace sua família, um abraço faz bem;
Pais e filhos, se amem;
Nunca se esqueça de Deus, não caia nesse erro;
Apaixone-se e ame quem completa você, o coração agradece;
De um sorriso, estenda a mão... você vai colher os resultados;
Então vais viver, não apenas existir!

Jeremias Moreira

sábado, 28 de maio de 2011

História de Uma Águia



Um fazendeiro achou um filhote de águia e a colocou no galinheiro.
O tempo passou e a águia ciscava igual galinha
Até que chegou um visitante e disse pro fazendeiro:
- Hei, isto é uma águia! O fazendeiro respondeu:
- Eu sei, a criei como uma galinha e ela deixou de ser águia... 
- Mas veja bem, ela tem coração de águia, 
tudo de águia e não pode continuar assim.

O visitante foi, pegou a águia e a levou para o 
precipício e disse no ouvido dela: 
- Você é uma águia. Voe. E a lançou. 
A águia em seu desespero começou a bater 
as asas e de repente estava voando e 
planando no céu azul.

Quando aparecer pessoas dizendo que você 
não vai chegar lá, que você não é nada, 
Lembre-se que você é uma ÁGUIA e vá ao 
mais alto que puder, pois DEUS tem sempre 
os melhores vôos para aqueles que nele esperam, 
você será mais que vencedor.. Creia!!

sábado, 16 de abril de 2011

Precisamos voltar a cultuar a Deus



Cultuar ao Senhor implica adorá-lo, tributar-lhe voluntariamente louvores e honra. Podemos cultuá-lo demodo individual — continuamente: “Orai sem cessar” (1 Ts 5.17) — e demaneira coletiva, quando nos reunimos em algum lugar (templo, casa, etc.) para adorá-lo (Mt 18.20). Em ambas as modalidades, o objetivo primário é sempre a adoração (Jo 4.23,24), seguida do enlevo espiritual do adorador (Jr 23.19; 33.3). O culto a Deus exige exclusividade: “Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto” (Mt 4.10, ARA).

Infelizmente, os nossos cultos coletivos foram, ao longo do tempo, ganhando adjetivos que evidenciam o quanto perdemos de vista o propósito primário de adorar a Deus. Hoje, tudo no culto (culto?) é preparado para agradar as pessoas, e não ao Senhor. E nós nos dirigimos ao templo para receber bênçãos do Senhor, e não (prioritariamente) para oferecer-lhe a nossa adoração. Isso é um desvio, posto que temos invertido as prioridades.

Vejamos alguns dos muitos tipos de “culto” que criamos, ao longo do tempo, para satisfazer os nossos caprichos:

Culto de libertação. Com o intuito de atrair gente e ver os templos lotados — o que também, naturalmente, aumenta a receita da igreja —, começamos a promover “cultos” de libertação. Ora, se o nosso Senhor, o Libertador, está sempre presente conosco e, sobretudo, em nós, por que precisamos de uma reunião específica de libertação? Basta-nos cultuarmos ao nosso Libertador e pregarmos a verdade, sempre, a fim de que haja libertação (Jo 8.32,36).

Culto de avivamento. Hoje, precisamos de reuniões específicas para Deus avivar o seu povo... Mas o verdadeiro avivamento ocorre continuamente, como consequência da verdadeira adoração. O que chamamos de culto de avivamento, na verdade, é uma reunião em que crentes gritam, pulam, sapateiam, mas não amadurecem, não crescem na graça e no conhecimento (2 Pe 3.18). Se oferecêssemos cultos a Deus, com louvor, pregação e ensino da Palavra, haveria verdadeiro e contínuo avivamento na igreja (Ef 5.18,19).

Culto da bênção, da vitória, das causas impossíveis, dos milagres. Como as coisas estão difíceis, hoje! Precisamos de reuniões específicas para Deus operar! É preciso fazer campanha, participar da tarde da bênção, da noite dos milagres... Por que não voltamos a cultuar ao Senhor Jesus? Se fizermos isso, veremos milagres em nosso meio, não de maneira forjada, mas como consequência de nos humilharmos, e orarmos, e buscarmos a sua face, e nos convertermos de nossos maus caminhos (2 Cr 7.14,15).

Culto de louvor. Esse tipo de “culto” — também conhecido, vulgarmente, como “louvorzão” — é, na verdade, um show, pelo qual cantores e grupos se apresentam para agradar a plateia. Há pouco ou quase nada de louvor nesse tipo de reunião, mas o povo dança e se diverte. Já temos até imitações fajutas do Michael Jackson no nosso meio! Podemos chamar isso de culto? Biblicamente, o culto coletivo deveria ser de louvor (louvor, mesmo!), e não de cantoria (uma espécie de show de calouros), dança ou qualquer outro tipo de apresentação para agradar as pessoas.

Cultos de doutrina e da família. Não sou contra reuniões voltadas especificamente para o ensino, como é o caso da Escola Dominical e dos chamados cultos de doutrina. Afinal, quando estudamos a Palavra de Deus com submissão e obediência, também estamos cultuando ao Deus da Palavra. E, se, em nossos “cultos” de doutrina, houvesse mesmo exposição da sã doutrina, seria uma maravilha! Mas precisamos atentar para 1 Coríntios 14.26, a fim de que haja, em nossos cultos coletivos, louvor ao Senhor, exposição da sua Palavra e manifestação do Espírito Santo (1 Co 14.26).

Também não há problema nenhum em fazermos reuniões de aconselhamento à família. Mas é um erro tirarmos Deus do centro, ainda que por uma causa nobre. Precisamos, repito, olhar para o culto mencionado no Novo Testamento, especialmente no livro de Atos. Naquele tempo, não havia culto disso e daquilo. Todo culto era para honrar e adorar ao Senhor. E a salvação de almas, a manifestação do Espírito, mediante os dons espirituais, os milagres, as curas, a resolução de problemas ocorriam naturalmente. Não era preciso fazer campanhas, de$afio$, etc.

...Que Deus nos ajude a entendermos que o nosso culto coletivo é um momento especial em que nos reunimos para apresentarmos a Ele um louvor verdadeiro, buscarmos a sua presença, em oração, e ouvirmos a sua voz, principalmente pela sua Palavra. E que o Senhor nos ajude a não sermos crentes que vivem de “cultos” disso e daquilo.

Conscientizemo-nos, ainda, de que o nosso culto a Deus nunca termina. Não o cultuamos apenas no templo, de modo coletivo. Cultuemo-lo constantemente, em nossa casa, em nosso trabalho, na faculdade, no templo, ao dormir, ao acordar... Aliás, até dormindo (no caso dos cristãos se prezam) o cultuamos, como lemos em Isaías 26.9 e Cantares 5.2: “Com a minha alma te desejei de noite, e com o meu espírito, que está dentro de mim, madrugarei a buscar-te” e “Eu dormia, mas o meu coração velava”.

Perdoa-nos, Senhor! Temos nos orgulhado do grande crescimento numérico das igrejas evangélicas, ainda que os líderes de muitas delas não tenham nenhum compromisso com o evangelho de Cristo. De fato, Senhor, elas estão cheias de multidões de interesseiros. Mas temos pecado, ao não adorar a ti em espírito e em verdade. Renova-nos, a fim de que voltemos a dar-te culto, como nos tempos da igreja primitiva. Amém.

Quantos podem dizer 
“amém”?

                                                                                               Ciro Sanches Zibordi


segunda-feira, 11 de abril de 2011

Tudo que Deus Faz é Bom



Era uma vez um rei gostava muito de caçar. Dentre seus amigos que levava às caçadas, havia um que era muito piedoso e temente a Deus (ao contrário do monarca, que não se detinha nas questões da fé).

Sempre que o rei conseguia abater um animal, aquele sujeito gritava:
- Aleeeluuuuia! Tudo que Deus faz é bom!
E o rei se envaidecia destas palavras.
Um dia, quando o rei disparou sua arma de caça, o tiro saiu pela culatra, arrancando-lhe o dedão da mão direita.
Quando voltavam para casa, carregando o rei numa maca, o sujeito disse:
- É... Tudo que Deus faz é bom!

O rei ficou furioso, mandou prendê-lo num calabouço e jogar a chave fora. 

Passado o trauma inicial do acidente, o rei e os seus demais amigos voltaram a caçar.
Numa destas viagens, o grupo caiu nas mãos de uma tribo de canibais e, um a um, eles foram sendo devorados pelos selvagens.
O rei ficou por o último. Mas, quando chegou a sua hora, ao vir examiná-lo, o sacerdote dos canibais percebeu que lhe faltava o dedão da mão direita, desqualificou-o como oferenda e ordenou que o libertassem.


Ao voltar para seu reino, o rei mandou soltar seu amigo e contou-lhe toda a história.
- Eu lhe disse, meu rei, tudo o que Deus faz é bom! Se o senhor não tivesse perdido o dedão naquele dia, estaria morto a esta hora.
O rei se desculpou com seu amigo, por ter-lhe mandado prender. E fez-lhe uma pergunta:


- Meu amigo, eu ainda tenho uma questão não resolvida em meu coração. Se tudo o que Deus faz é bom, porque Ele permitiu que eu mandasse lhe prender? Porque permitiu que você, injustamente, ficasse dois anos atrás de uma grade?


- Ah, meu rei, tudo o que Deus faz é muito bom, pois, se eu não estivesse aqui preso, estaria agora na barriga dos canibais.


"E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom" Gênesis 1.31

domingo, 27 de março de 2011

segunda-feira, 14 de março de 2011

Se Deus encontrasse você


Se Deus se encontrasse com você hoje, talvez Ele lhe diria essas palavras:
"Consagra-te. Sê obediente à pequena voz interior. Ela te chama à parte e conduz a tua alma à devoção. Ela te dá direção, porém antes de tudo, – e de maior importância, – ela revigorará e iluminará o teu espírito, enchendo-te do Amor divino.
Estou no meio de ti, habitando dentro do teu ser. Não Me busques fora, em qualquer outra parte, senão no íntimo do teu coração. Passei a habitar ali, atendendo ao teu convite. Não Me deixes fora outra vez, nem Me ignores, mas olha para dentro e compreende que, aquilo que te dei para repartires com outros não será ministrado por ti mesmo, mas por meio do derramamento do Meu Espírito dentro de ti, onde fez a Sua constante habitação.
Ele Se move através de ti, fala através de ti, e ficarás maravilhado com aquilo que ele fará. Tão somente entrega-te, consagra-te. Ele é a tua vitória." Efésios 5:15-20.
Ele falou com você, visto que tirou tempo para ler estas palavras, e se "hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações" Hebreus 3.15

terça-feira, 8 de março de 2011

ORIENTAÇÃO DA ALMA



Deus falando ao homem:

        "Não é pela energia humana que entras no Meu Reino. É pela resignação firme nas provações e nas lutas que Eu te ensino caminhos novos e te guio por eles.
Meu coração é santuário, e enquanto oras Eu te conduzo a uma unidade Comigo para o verdadeiro sentido da adoração. Este é um lugar santo e o pecado deve ser retirado antes de penetrares nele com alegria. Não tentes chegar a esse recinto sagrado, sem humilhar-te, afastando de ti o amor próprio e o egoísmo.
Tenho muito trabalho a ser feito, mas não posso usar nenhuma vida que não esteja completamente entregue a Mim numa total submissão. A orientação da alma deve estar centralizada em Mim. Se estiveres fora desse equilíbrio e firmado na tua vontade, estás facilitado a tua destruição e a perdição dos outros. Eis porque não deves entrar, pelo teu próprio esforço, num serviço por Mim planejado. Essa atitude impulsiva conduzirá ao desastre e à confusão." Salmo 37:1-5

Texto retirado de: " A VIAGEM DO OUTRO CRISTÃO" (Frances J. Roberts)

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Perguntas de Cristo



“Aprendendo com as perguntas do Senhor Jesus Cristo”.

Quando lemos os Evangelhos (quatro primeiros livros neotestamentários), observamos que o Deus-Homem — o qual não pode ser comparado a nenhum outro homem, pois é sui generis — costumava fazer perguntas para levar os seus ouvintes a profundas reflexões, a grandes decisões e a importantes ações.

Em Mateus 15, há quatro perguntas do Homem mais sábio que andou na terra (não foi Salomão, como muitos pensam). A primeira foi: “Por que transgredis vós também o mandamento de Deus pela vossa tradição?” (v.3). Por meio dessa indagação, o Deus-Homem mostrou aos escribas e fariseus que eles estavam valorizando mais as tradições do que a Palavra de Deus. Não vemos o mesmo ocorrer hoje? Líderes há que dão a vida pela tradição e não fazem o mesmo esforço para defender o Evangelho. É óbvio que a tradição têm o seu valor (2 Ts 2.15; 3.6), mas os mandamentos do Senhor são primazes e permanecem para sempre (1 Pe 1.25).

“Até vós mesmos estais ainda sem entender?”(v.16). O Senhor Jesus fez essa segunda pergunta aos seus discípulos porque eles estavam com dificuldade de entender o que Ele dissera a respeito da hipocrisia dos escribas e fariseus (vv.7-14). O Mestre quis mostrar aos primeiros apóstolos e a nós, por extensão, que temos a iluminação do Espírito para entender a sua Palavra (Mt 13.11). Isso denota que, se estudarmos as Escrituras com devoção, contando com a unção do Espírito Santo (1 Jo 2.20), podemos discernir bem tudo (1 Co 2.14,15).

“Ainda não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e é lançado fora?” (v.17). O Mestre fez essa pergunta para explicar aos discípulos o que significava a sua afirmação do versículo 11: “O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca isso é o que contamina o homem”. Jesus — que é o Criador e conhece pormenorizadamente o nosso organismo — usou como exemplo o processo seletivo realizado em nosso ventre durante a digestão para ensinar uma grande verdade. É claro que devemos nos preocupar com o que comemos, para termos uma boa saúde. Entretanto, a saúde espiritual é prioritária. E um cristão (cristão?) difamador, caluniador, maldizente, promotor de males, etc., ainda que alimente bem o seu corpo, está enfermo no seu espírito.

“Quantos pães tendes?” (v.34). Uma grande multidão seguia ao Deus-Homem. E Ele, além de ensinar, fazia muitos milagres. Os milagreiros de hoje pensariam: “Vou agora levantar uma grande oferta para o meu ministério”. Mas o nosso Mestre por excelência não estava pensando em receber algo da multidão; Ele só queria abençoar aquele grande povo reunido. E, ao receber sete pães e alguns peixinhos, deu graças ao Pai e realizou um grande milagre: aproximadamente doze mil pessoas comeram (quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças). Glória a Deus!

Portanto, caro leitor, atente para os ensinos do Mestre Jesus Cristo. Assimile as maravilhosas verdades que estão registradas nos Evangelhos. O Senhor não veio ao mundo por acaso. Ele se fez Homem a fim de morrer por nossos pecados, mas também para nos dar o exemplo de uma vida santa e nos dizer palavras que nenhum outro ser nascido de mulher foi ou será capaz de dizê-las. Não houve e nunca haverá alguém igual a Ele. Aprendamos com Jesus Cristo, o Unigênito (gr. monogenes), e apreendamos os seus ensinamentos em nossos corações.

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi


Texto retirado do Blog do Ciro ®


terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

A Cadeira



Um pastor foi chamado para orar por um doente.
Ao entrar no quarto onde ele estava, havia uma cadeira
ao lado da cama, o pastor se aproximou e disse: 
" Sua filha me pediu que viesse aqui orar por você e creio
que esta cadeira vazia seja para mim. "
E o homem respondeu:
" Na verdade passei boa parte da minha vida sem saber 
orar e não dava importância a isso, pensava que Deus 
estava muito distante de mim.
Até que um dia um amigo me disse que orar é conversar
com Jesus, e sugeriu que eu sentasse em uma cadeira e 
colocasse outra na minha frente crendo que Jesus estava ali 
sentado e me ouvindo, pois Ele mesmo disse:
" Eu estarei sempre com vocês " 
Desde então tenho feito isso e tem sido muito bom, 
mas cuido para que ninguém veja e pense que estou louco."
E o pastor disse que era muito bom o que ele estava fazendo 
e que nunca deixasse de fazê-lo.
Em seguida orou com aquele homem e foi embora.
Alguns dias depois o pastor foi avisado pela filha daquele 
senhor que ele havia falecido.
Porém ele estava com a cabeça encostada em uma cadeira 
ao lado da sua cama quando morreu e a filha perguntou ao 
pastor se ele sabia porque.
Emocionado o pastor enxugou as lágrimas e respondeu:
" Ele partiu nos braços do seu melhor amigo."

Jesus está mais próximo de nós do que pensamos ! 
Tenha fé e fale com Deus, Ele te ouvirá !
E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século. Mateus 28.20

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Heterofobia também é crime!


Lembra-se de Niki Lauda, tricampeão mundial de Fórmula 1? Nem ele conseguiu escapar da fúria dos caçadores de homofóbicos, na Áustria! Segundo o jornal inglês The Guardian, o ex-piloto foi acusado de homofobia, recentemente, depois de ter criticado uma dança entre dois homens no quadro “Dança das Estrelas”, da TV austríaca ORF.

Em entrevista ao diário local Österreich, Lauda disse que não gostaria de explicar a seu pequeno filho por que dois homens estavam dançando juntos no horário nobre. “Há algumas boas tradições na nossa cultura. Uma delas é que homem não dança com homem. Em breve chegaremos ao estágio em que teremos que pedir desculpas publicamente por sermos heterossexuais”.

A declaração do ex-piloto enfureceu o grupo de direitos gays de Viena, que respondeu: “Estamos realmente chocados e muito surpresos que o senhor Lauda tenha tanto preconceito contra os homossexuais para fazer esse ataque injustificado”.

Pessoas que têm coragem de opinar sobre a homossexualidade, como Niki Lauda, vêm sendo duramente atacadas por grupos gays, na atualidade. Para estes, uma simples opinião contrária à sua “diferente forma de amar” já denota crime de discriminação e preconceito de sexo, de orientação sexual e de identidade de gênero.

No Brasil, tenho visto grupos de homossexuais e simpatizantes utilizarem o slogan: “Homofobia é crime”. Eles o empregam para influenciar a opinião pública, aproveitando-se também dos casos recentes de homossexuais que foram agredidos física e verbalmente por pessoas desequilibradas e maldosas. Mas não estariam certos grupos homossexuais, ao combaterem o que chamam de homofobia, respondendo de modo desproporcional às críticas e adotando um comportamento heterofóbico?

Há homossexuais que têm nojo dos heterossexuais e até os agridem verbalmente, sem nenhum constrangimento. Citei, no artigo anterior, a entrevista do astro Ricky Martin à revista Veja, na qual ele se descreve como superior aos seus semelhantes pelo fato de ser gay.

Já pensou se houvesse grupos heterossexuais que resolvessem exigir que Ricky Martin se retratasse publicamente? E, se os evangélicos, frequentemente taxados de homofóbicos, resolvessem lançar a campanha: “Heterofobia é crime”? Afinal, se existe a homofobia, também há a heterofobia — termo que identifica o ódio, a aversão ou a discriminação de uma pessoa contra heterossexuais e, consequentemente, contra a heterossexualidade, e que pode incluir formas sutis, silenciosas e insidiosas de preconceito.

Talvez seja interessante as emissoras de TV, as rádios, os jornais e revistas católicos romanos e evangélicos, que primam pelos valores familiares esposados na Bíblia Sagrada, começarem a combater a heterofobia. Isso poderá evitar que esse comportamento hostil e reprovável contra os heterossexuais se propague ainda mais.

Muitos evangélicos têm reclamado que a Rede Globo e outras emissoras defendem abertamente a homossexualidade, taxando os contrários a esse comportamento de homofóbicos. Entretanto, tais emissoras estão defendendo os ideais que consideram nobres. Se elas acham legítimo combater a homofobia (ou qualquer opinião contrária ao homossexualismo), é um direito que lhes assiste fazer isso.

Por outro lado, por que a Rede Record — emissora pretensamente cristã ou comandada por líderes supostamente evangélicos — não produz novelas contrárias ao comportamento heterofóbico? Por que os programas evangélicos de TV e a imprensa cristã não lançam uma campanha contra a heterofobia?

                                                      Ciro Sanches Zibordi

Leia mais sobre esse assunto: http://cirozibordi.blogspot.com/


domingo, 23 de janeiro de 2011

A Ponte


Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas 
por um riacho, tiveram um desentendimento. 
Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho 
lado a lado.
O que começou com um pequeno mal entendido, finalmente explodiu
numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total
silêncio.
Numa manhã, o irmão mais velho ouviu alguém batendo à sua porta,
dizendo:
" Estou procurando trabalho e talvez você tenha algo para mim ".
Sim, disse ele, mostrando em seguida a fazenda do seu irmão mais
novo além do riacho, contando que haviam brigado e que não podia
mais suportá-lo.
Então mandou construir uma cerca bem alta entre as duas fazendas, 
entregou o material e foi para a cidade.
E quando voltou não acreditou no que viu:
Em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas
margens do riacho.
Era um belo trabalho, mas o fazendeiro não gostou nada do que viu.
As surpresas não pararam ai.
Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando
de braços abertos.
Por um instante permaneceu imóvel do seu lado do rio.
Então o irmão mais novo disse:
" Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo
depois de tudo o que aconteceu.
De repente, num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.
O homem que fez o trabalho estava de partida quando alguém disse:
" Espere, fique conosco ! " 
E ele respondeu:
" Não posso, tenho outras pontes para construir ! "

Não deixe que " cercas ou muros " impeçam a sua aproximação 
com o próximo, construa uma ponte sólida de amor, paz e comunhão !

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Cinco minutos após chegar no céu


Pode ser num momento, ou após um tempo de espera, mas estarei 
diante do meu Senhor.

Então, num instante todas as coisas serão vistas por nova perspectiva. 

De repente, as coisas que achei ser importantes, as tarefas de amanhã,
os planos na igreja, meu sucesso ou fracasso em agradar os que me
cercam, estas coisas não terão a menor importância.
E as coisas que dei pouca atenção: falar de Cristo ao vizinho, 
o momento de fervente oração, a confissão e o abandono do pecado, 
serão reais.
No céu desejarei de todo o coração poder ter de novo um milésimo do 
tempo que deixei escarpar-me entre os dedos, poder retirar todas 
aquelas incontáveis conversas que poderiam ter glorificado o meu 
Senhor, mas não o fizeram.
Cinco minutos após eu chegar no céu, creio que desejarei de todo o 
coração ter sido mais fiel para ler a Palavra de Deus e esperar nele 
em oração e que pudesse te-lo conhecido enquanto ainda estava na 
terra, da forma como ele desejava que eu o conhecesse.

Desejarei... mas será tarde.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Zeca e o saco de carvão


O pequeno Zeca entra em casa, batendo os pés no assoalho com força. Seu pai, que estava indo para o quintal fazer alguns serviços na horta, chama o menino para uma conversa. Zeca de 8 anos de idade, o acompanh
desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:
- Pai estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito isso comigo. Desejo tudo de ruim pra ele, quero matar esse menino.
Seu pai, um homem simples, mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito isso! Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir para a escola.
O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco de carvão. Levou  saco até o fundo do quintal e o menino o
acompanhou calado. Zeca vê o saco ser aberto e, antes mesmo que pudesse fazer alguma pergunta, o pai lhe propõe algo:
- Filho, faz de conta que aquela camisa limpinha que está secando no varal é o seu amigo Juca, e que cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou. O menino encarou como uma brincadeira e pôs mãos à obra. O varal com a camisa estava longe, e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora depois terminou a tarefa. O pai, retorna e lhe pergunta:
- Filho, como está se sentindo agora?
- Cansado, mas alegre. Acertei muitos pedaços de carvão na camisa.
O pai olha para o menino, que não entendeu a razão daquela brincadeira, e com carinho lhe diz:
- Venha comigo até meu quarto, pois quero mostrar-lhe uma coisa.
Lá é colocado diante de um espelho, onde vê todo o seu corpo. Que susto! Enxergou apenas seus dentes e olhos. O pai, então, lhe diz ternamente:
- Filho, você viu que a camisa quase não ficou suja, mas olhe só para você. o mal que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu.
Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, os resíduos e a fuligem ficam sempre em nós mesmos.
Cuidado com seus pensamentos, eles se transformam em palavras.
Cuidado com as palavras, elas se transformam em ações.
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos.
Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter.
Cuidado com seu caráter, ele decidirá o seu destino.

"Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas."Mateus 7.12 

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Jovem

Estou postando esse vídeo, porque é muitíssimo necessário 
que seja visto...
Importantes palavras, não deixe de assisti-lo!



'...Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno." 1º João 2.14

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

O Criador



Certo homem passeava feliz com seu veloz e confortável automóvel pelas ruas da cidade onde morava.

Porém subitamente o carro parou em plena avenida com um problema 
no motor.
Após várias tentativas para faze-lo funcionar novamente, porém sem 
êxito, abriu o capô e pediu ajuda, mas nem sinal de o carro funcionar.
"- Como pode um carro tão bom, parar desse jeito ! "_ disse.
O homem já estava perdendo a paciência quando um senhor apareceu, 
e educadamente pediu licença para ajudar, e sem acreditar que algo 
pudesse ser feito àquela altura, consentiu.
Então aquele senhor conectou um fio a uma pequena peça do motor, e 
sem sequer sujar as mãos, pediu que fosse dada a partida.
No mesmo instante, para sua surpresa o motor começou a funcionar.
O mecânico desconhecido aproximou-se do proprietário e disse: 
"- Meu nome é Henry Ford, eu sou o fabricante destes veículos e 
compreendo muito bem como funcionam ! "


Os sábios e entendidos deste mundo tem tentado resolver os 
problemas do homem, sem resultados, no entanto a Palavra 
de Deus diz que o Criador com um único toque, regenera e 
da vida ao ser humano.

Ninguém conhece melhor a criação do que o próprio Criador !

Feliz aquele que recebe ajuda do Deus de Jacó, aquele que põe a sua esperança no SENHOR, seu Deus, o Criador do céu, da terra e do mar e de tudo o que neles existe! O SENHOR sempre cumpre as suas promessas;    Salmos 146.5-6


Provérbio do Dia

"O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que abre muito os seus lábios se destrói."

Provérbios 13:3